online pharmacy canada

Festival Pluricultural

A continuidade de um projeto autêntico que tem servido de referência para municípios e empreendedores de arte, o poder de absorção social, a miscigenação de raças e etnias, a riqueza cultural do município de Camaçari e do próprio estado da Bahia, justifica a iniciativa de colocar em cheque os nossos artistas e produtores anônimos;
A mídia dominadora, também privilegia determinados segmentos tornando os demais, em aventureiros que sem a mídia, para endossar suas iniciativas penam a cada ano, em busca da concretização dos seus idéias, que em sua grande maioria são comuns;.
E mesmo que consigam a duras penas enquadrar suas idéias numa lei de incentivo, ainda tem o lobe das empresas que priorizam sem sombra de dúvidas os trabalhos da capital;
E assim vamos nós do interior a cada ano, a cada idéia, fazendo o papel do Estado, do Município, da União, sem perceber por isso, nem mesmo o estritamente necessário que é o reconhecimento;
Para 2005, esperamos por fim, que tenhamos aprovado o projeto pela lei de incentivo estadual, para que possamos colocar em prática, tudo que foi sonhado e almejado ao longo destes sete anos e que foi deixado para trás, justamente e tão somente, pela falta de apoio de órgãos oficiais.
O Festival Pluricultural tem sido o único projeto, a levar cinema para as comunidades mais carentes, teatro para os distritos mais distantes, cidadania em forma de espetáculos para empresas do complexo petroquímico e de serviços, educação através das obras expostas, para as escolas de Camaçari e região, tudo isso de maneira ampla geral e irrestritamente gratuita.
Encarar a arte de frente transformando-a em fonte de renda e ferramenta de formação de um novo conceito de cidadania, tem sido a lógica da Fundação Cultural CA&BA, responsável hoje, por projetos reconhecidos dentro e fora dos limites de Camaçari.
O teatro empresa e educativo vem gerando empregos e renda para uma leva de novos atores e profissionais técnicos em arte, residentes ou não, no município de Camaçari, que descobriram através dos festivais da Fundação uma nova forma de encarar o mundo.
Existem hoje em prática na Bahia alguns festivais que acontecem espasmodicamente, todos ou a grande maioria aconteceram depois do pluricultural, nenhum tem tanta freqüência e assiduidade quanto o pluricultural, podemos afirmar categoricamente que muitos deles aproveitaram inclusive o texto da proposta do festival. O que para nós é uma honra!